top of page

A Jornada do Brasil para a Liderança Global na Banda Larga Fixa: A Fibra!

José Felipe Ruppenthal

O Brasil não vem chamando a atenção do mercado global apenas pelo número de crescimento de acessos em pouco mais de uma década (123,5% e 27,4 milhões), falei sobre isso aqui https://lnkd.in/drmKvwGq, mas por também crescer usando tecnologias a prova do futuro, pelo menos hoje.



Não nada adianta crescer expressivamente utilizando tecnologias legadas ou não preparadas para o futuro. 



🔊 Em 2013, apenas 4,5% dos mais de 22,1 mi de acessos de banda larga fixa usavam fibra como meio de acesso. Já em abril de 2024, 75,3% dos mais de 49,5 mi de acessos utilizam fibra.



Nesse período de pouco mais de uma década, o país não só adicionou novos acessos em fibra, mas também migrou outros, realizando um trabalho duplo e a representatividade da fibra em uma base tão grande de acessos vem chamando a atenção do mundo:



◼ Nos Estados Unidos, um pouco mais de 22% dos 130,7 mi de acessos utilizam fibra. 


◼ Na Alemanha, pouco mais de 10% dos 38,3 mi de acessos usam fibra. 


◼ No Canadá, pouco mais de 30% dos 16,7 mi de acessos usam fibra. 



Esses países também cresceram suas bases nos últimos anos, mas continuaram utilizando tecnologias como HFC/Cable. 



🔥 Um acesso via fibra necessáriamente será mais rapido do que um acesso via HFC/Cable?



A resposta é não! Ter fibra não significa necessariamente ter um desempenho melhor que HFC/Cable ou outras tecnologias:



◼ Nos EUA, apesar de apenas 22,6% dos acessos utilizarem fibra, a velocidade média de download é de 248,27 Mbps. 


◼ No Canadá (30% fibra), a velocidade média é de 189,74 Mbps. 


◼ No Brasil (75,3% fibra) estamos com uma média de 166,24 Mbps.



Essas nações vem conseguindo extrair mais desempenho das tecnologias que consideramos legadas, algo que não conseguimos fazer por aqui, mas para tudo existe um limite de evolução, que está no fim.



📣 A afirmação que pode ser feita é que ter uma base com maior penetração de fibra te deixa mais preparado para o futuro. Quando falamos sobre sociedade avançada, transformação industrial e um novo mundo imersivo, precisamos de fibra, assim como do 5G/6G.



Migrar para a fibra é inevitável, e o Brasil está muito à frente desses países. O que já fizemos, outros terão que fazer. 



Essa jornada de migração para a fibra fica mais evidente ao observarmos o crescimento dessa tecnologia em outros países:



◼ No Canadá, a fibra representava 22% em 2021, ante 30% hoje. 


◼ Na França, era 40% em 2021 e 61,7% hoje. 


◼ No México, era 30,1% e agora está em 64,7%. 


◼ Na Áustria, a base de acessos em fibra cresceu 75,1% entre 2022 e 2023. ◼ Na Bélgica, 72,8%; e no Reino Unido, 63%.



E o bônus? 



🥁 Se isolarmos apenas os acessos dos ISPs no Brasil (54,5% de toda a base de acessos), a fibra representa incríveis 89,8%, uma adoção maior do que Japão e Coreia do Sul, países que lideram há décadas nesse tema.



O futuro do Brasil é promissor e estamos na vanguarda!

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page