top of page

Acompanhe como estão os contratos de telecomunicações

José Felipe Ruppenthal





O Brasil encerrou fevereiro de 2024 com 340,76 milhões de contratos de telecomunicações ativos, um recuo de 0,35% no ano, impulsionado principalmente pela diminuição no número de acessos de telefonia fixa e TV por Assinatura.



💡 Ranking de Contratos/Acessos somando os quatro produtos: Banda Larga Fixa, Telefonia Móvel, TV por Assinatura e Telefonia Fixa:


1 VIVO 113.393.344


2 CLARO 109.975.835


3 TIM 62.755.243


4 OI 12.753.758


5 ALGAR 6.079.036


6 SKY 3.309.021


7 DATORA 2.727.850


8 VERO / AMERICA NET 1.881.039 


9 EB FIBRA 1.860.252


10 BRISANET 1.622.054



💡 Confira os principais destaques:


➡ Rede Móvel: 


 ◼ 256,4 milhões de acessos, crescimento de 0,03% em 2024



➡ Banda Larga Fixa: 


 ◼ 48,75* milhões de acessos, crescimento de 0,68% em 2024



➡ TV por Assinatura: 


 ◼ 11,29 milhões de acessos, queda de 3,58% em 2024



➡ Telefone Fixo: 


 ◼ 24,32 milhões de acessos, queda de 4,46 % em 2024.



💡 Em perspectiva:


◼ Nos últimos dois anos, a base total de contratos da rede móvel sofreu uma redução significativa, principalmente devido à venda da Oi Móvel, que resultou em um grande desligamento de usuários inativos após a migração. Sem esse efeito o crescimento seria positivo. 


◼ O impacto da crescente popularidade dos serviços de streaming é evidente na diminuição do número de contratos de TV por assinatura. Em 2024, a base já registrou uma redução de mais de 419 mil acessos.


◼ O telefone fixo continua em declínio absoluto, com a base perdendo 1,1 milhão de acessos nos dois primeiros meses de 2024. A redução é maior entre os usuários B2C, que ainda representam 52% de todos os acessos.


◼ *Houve subnotificação e usamos dados faltantes do mês anterior ajustando a base total. A expectativa de crescimento para o ano permanece inalterada; esperamos encerrar 2024 com 50 milhões de acessos.


Observando esses números, você acha que a telefonia fixa e a TV por assinatura devem acabar totalmente nos próximos anos? Comente!






5 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page