top of page

Banda Larga Fixa em Foco: O Progresso impressionante dos Países Sul-Americanos





Nos últimos doze meses apenas o Suriname não apresentou melhoria significativa na velocidade média de acesso à internet via banda larga fixa.



O ranking atual, com base nas velocidades médias de download (em Mbps), revela o progresso notável dessas nações:



1º Chile 256,67


2º Brasil 146,16


3º Uruguai 121,78


4º Colômbia 117,23


5º Peru 94,61


6º Paraguai 88,42


7º Equador 77,73


8º Argentina 74,35


9º Guiana 56,46


10º Venezuela 40,41


11º Bolívia 32,18


12º Suriname 11,26



Ao analisarmos o crescimento percentual nos últimos 12 meses, observamos o seguinte ranking:



1º Venezuela 163,4%


2º Equador 65,7%


3º Brasil 44,8%


4º Peru 39,8%


5º Argentina 32,5%


6º Bolívia 30,2%


7º Colômbia 29,2%


8º Uruguai 28,6%


9º Paraguai 28,3%


10º Guiana 25,0%


11º Chile 16,2%



A maioria dos países sul-americanos registrou um progresso expressivo nos últimos 12 meses na banda larga fixa. 



Dez (10) países aumentaram a velocidade média de acesso em pelo menos 20% na banda larga fixa, enquanto, na rede móvel, apenas cinco (5) países apresentaram um crescimento superior a 20%.



Para uma visualização mais detalhada, confira o infográfico da rede móvel (Edição Dezembro/23) em https://lnkd.in/dEB2cWCM



Ao analisar as duas formas de conectividade na América do Sul, alguns pontos chamam a atenção:



- O Uruguai, em constante crescimento na velocidade média da banda larga fixa, destaca-se como um possível novo líder no futuro, liderando também a velocidade média na rede móvel.



- O Chile, líder na banda larga fixa na América do Sul e com a quarta velocidade média de acesso global, ocupa apenas a terceira posição na rede móvel na América Latina.



- A maior disparidade entre velocidade média na banda larga fixa e móvel é observada na Colômbia, com uma média de 117,23 Mbps na banda larga fixa e apenas 11,97 Mbps na móvel. Uma diferença de mais de 880%.



- Também chama a atenção da disparidade no Chile, uma diferença de mais de 652% entre a velocidade média na rede móvel e na banda larga fixa.



- A Venezuela, apesar das médias relativamente baixas, praticamente dobrou a velocidade média em ambas as tecnologias, representando um crescimento significativo.



As disparidades nos resultados podem ser explicadas por diferenças nas políticas de telecomunicações, investimentos em infraestrutura e na adoção de tecnologias emergentes. 


 


E o que vocês acharam dessa evolução?

2 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page