top of page

Cresce acesso à Banda Larga Fixa por habitante no Brasil

José Felipe Ruppenthal





A densidade de acessos de banda larga fixa por habitante continua a crescer no Brasil e Florianópolis/SC lidera o ranking nas grandes cidades.


O Brasil continua a crescer, alcançando uma média nacional de 23,2 acessos à internet fixa para cada 100 habitantes.


Alguns estados destacam-se ao superar até mesmo os índices de países muito desenvolvidos:


1.    SC       34,84


2.    SP       32,75


3.    RS       31,14


4.    DF      29,93


5.    PR       28,42


A cidade de Florianópolis/SC lidera o ranking nacional quando olhamos para municípios com mais de 500.000 habitantes:


1.    Florianópolis/SC          52,5


2.    Curitiba/PR     42,6


3.    Porto Alegre/RS          41,6


4.    Ribeirão Preto/SP       40,2


5.    São José dos Campos/SP        40,0


6.    Belo Horizonte/MG     39,8


7.    Juiz de Fora/MG         39,7


8.    Londrina/PR    39,6


9.    Campinas/SP   39,4


10. Uberlândia/MG           38,3



Os cinco principais países no mundo são:


1.    Suíça 48,16


2.    França 46,62


3.    Noruega 45,66


4.    Coreia 45,43


5.    Dinamarca 44,80



Alguns estados brasileiros já ultrapassam o indicador de alguns países relevantes, tais como:


1.    Finlândia 34,41


2.    Itália 31,55


3.    Irlanda 31,51


4.    Áustria 28,95


5.    Israel 27,75



A nossa evolução anual é impactante, apesar disso, ainda precisamos evoluir muito:


1.      2023    23,20


2.      2022    22,34


3.      2021    19,53


4.      2020    17,16


5.      2019    15,66


6.      2018    14,98


7.      2017    13,92


8.      2016    12,99


9.      2015    12,47


10.  2014    11,82


11.  2013    11,04


12.  2012    10,22


13.  2011    8,85


14.  2010    7,85


15.  2009    6,54


16.  2008    5,62



Organizações internacionais, como a OECD - OCDE e a @ITU, utilizam o indicador "acessos a cada 100 habitantes" para avaliar o crescimento econômico, produtividade e qualidade de vida em países, estados, regiões ou cidades.


Por aqui, esse é um dos indicadores da Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações, que usa a densidade por população e não mais nos números de domicílios, o que permite comparações mais diretas com indicadores de organismos internacionais.


Essa métrica ajuda a monitorar disparidades entre economias e é uma ferramenta fundamental para analisar o progresso na área de tecnologias de informação e comunicação.





3 visualizações0 comentário
bottom of page