Eduardo Barros avalia que empate contra o Aimoré foi justo

O Juventude voltou de São Leopoldo com um ponto na bagagem após o empate em 1 a 1 com o Aimoré, no estádio Cristo Rei. Eduardo Barros, treinador interino do Ju, falou sobre o duelo e explicou as alterações na equipe titular.

"Nós estudamos a equipe adversária e o ponto de pressão que eles tinham predominantemente era feito com o Wesley Pacheco. Neste momento, a gente entendia que, com dois jogadores de defesa, nos momentos em que a nossa equipe tinha a posse de bola, a gente conseguiria gerar superioridade para romper a primeira linha de pressão do Aimoré, então esse foi o principal motivo para a gente não iniciar com a linha de três", disse.

O jaconeiro, porém, teve momentos de dificuldade na etapa final, principalmente após a saída de Mauro Zárate, destaque individual da equipe no jogo.

"O jogo, no segundo tempo, se desenhou de uma forma que escapou do nosso controle. Com as mudanças, a nossa equipe não conseguiu manter o bom posicionamento que tinha com o Mauro Zárate em campo e nós precisamos, no decorrer da partida, fazer alguns ajustes para tentar bloquear os ataques da equipe do Aimoré. Acredito que, na reta final do jogo, o jogo se estabilizou: não ficou nem a favor do Aimoré, nem a nosso favor e o empate acabou sendo um resultado justo", avaliou o comandante.

Ainda, Barros aproveitou para pedir o apoio da torcida no jogo do próximo final de semana, sábado (26), contra o Caxias, no Alfredo Jaconi: "Aproveito para convocar o torcedor jaconeiro. A circunstância nós sabemos que não é simples, mas nós ainda temos totais condições e dependemos apenas das nossas forças para sairmos da zona de rebaixamento".
Foto: Fernando Alves/E.C. Juvetude
8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo