Técnico da seleção masculina de futebol avalia possibilidades da equipe nas Surdolimpíadas

Atualizado: 22 de abr.


Foto: divulgação internet

O Brasil, conhecido pela força no futebol mundial, vai estar na modalidade nas Surdolimpíadas, porém, como conta Paulo André Cazarotto, treinador da equipe masculina de futebol do país, ele terá algumas dificuldades para montar o grupo.

“Nós somos o Brasil, conhecidos como o país do futebol, né? Mas, infelizmente, nos surdos não é assim. Nos surdos, vou dar um exemplo: quatro atletas titulares seriam titulares absolutos da seleção, eles foram barrados pelas empresas para não virem, porque eles trabalham além de jogar.”

Ainda assim, a seleção, que foi recentemente campeã sem derrotas no campeonato sul-americano, e segundo lugar nos jogos pan-americanos, chegam com força na competição.

“O nível vai ser altíssimo, porque a Ucrânia, que é a vice-campeã; Turquia que é a campeã; a Argentina, um bom time; Itália, semifinalista; Holanda, campeã europeia, vão estar, mas nós vamos bater de igual para igual com essas seleções”.

O futebol estreia no dia 30 de abril, um dia antes da cerimônia de abertura da Surdolimpíadas. O Brasil está no grupo com Itália, Camarões, Holanda e Irã.

Confira entrevista completa, do repórter Juan Grings no vídeo abaixo:









34 visualizações0 comentário