Uso de luzes e bandeiras: as adaptações da maratona e do atletismo para as Surdolimpíadas


Imagem: divulgação internet
A maratona é uma das 20 modalidades que vão estar nas Surdolimpíadas de Caxias do Sul. A exemplo de outros esportes do evento, ela precisou passar por algumas adaptações para se adequar ao atleta surdo. Sinais sonoros, por exemplo, são substituídos por elementos visuais. O responsável técnico da maratona nas Surdolimpíadas, Zelfino Nardin, destaca sobre algumas mudanças.

“Muda principalmente na saída, não pode ser um som sonoro, tem que ser um som… uma imagem. Então, tem que ter uma luz, tipo uma - Fórmula Um - , digamos assim. Sinal vermelho, sinal verde e pode começar a maratona. E durante o trajeto também tem de cinco em cinco quilômetros, tem quilômetro um, depois tem quilômetro cinco, dez, quinze, vinte, vinte e cinco. E tem dois pontos de hidratação, onde o atleta pode repor as energias. Tem água, tem isotônico, tem fruta e tem a hidratação que é própria de cada atleta”.

Além da maratona, as competições de velocidade do atletismo, como os 100 metros rasos, também passam por esta adaptação: a saída é realizada através de um sistema de luzes vermelhas, amarelas e brancas. Já nas demais provas, são utilizadas bandeiras brancas e vermelhas.

A maratona deve acontecer no dia 15 de maio, o último dia de competições e também dia do encerramento da Surdolimpíadas.

Confira no vídeo abaixo, a reportagem de Juan Grings:




12 visualizações0 comentário